Postado em  06/12/2012 - 12:18

Polícia desbarata quadrilha que usava vírus para roubar dados de cartões de crédito

Fotos: Joana Lima

Samir Gomes Elias, de Ribeirão Preto, comandava as fraudes a partir de SP.

Marksuel Figueiredo e Cézar Alves/Da Redação

Em entrevista coletiva, o delegado Júlio Costa (foto), da Delegacia de Defraudações de Natal, disse que a quadrilha desbaratada na manhã desta quinta (6), na Operação Clone, da Policia Civil do Rio Grande do Norte, usava um vírus de computador para roubar os dados dos cartões de créditos de clientes de estabelecimentos comerciais em Natal, entre eles o Hiper Bom Preço.

Com este vírus no computador, uma vez que o cidadão usava o cartão de crédito para pagar uma conta, os dados eram automaticamente transferidos para o computador do líder da quadrilha na cidade de Ribeirão Preto, em São Paulo, o estelionatária Samir Gomes Elias, de 42 nos, que praticava os golpes em parceria com Paulo Henrique Amaral, de 22 anos.

Os dois foram presos na manhã desta quinta-feira na Operação Clone, que mobilizou mais de 150 policiais civis.

Júlio Costa (foto) destacou que a investigação começou a partir da denúncia feita por uma jornalista de Natal, depois que esta teve seus dados do cartão de crédito clonados, no mês de março de 2012. O trabalho ganhou robustez no dia 17 de maio, quando a Policia Civil conseguiu apreender material usado para fazer clones de cartão de crédito.

O passo seguinte foi identificar todos os envolvidos no Rio Grande do Norte. Com base nestas provas e nestas identificações, a juíza da Comarca de São Gonçalo do Amarante, Denise Leia Sacramento Aquino, decretou 28 prisões temporárias e 32 mandados de busca e apreensão.

A Polícia Civil conseguiu prender 20 dos 28 suspeitos que tiveram prisões decretadas. Entre os que conseguiram fugir está o vereador eleito da cidade de Rio do Fogo, Francisco Silvanei dos Santos. Este vereador eleito e outros 7 suspeitos estão sendo procurados pelo delegado Bem-Hur Medeiros, da Delegacia de Capturas do Rio grande do Norte.

Funcionária do Hiper Bompreço recebia de R$ 50 a 100 reais por cada cartão clonado

O líder da quadrilha Samir Gomes e o programador Paulo Henrique, de Ribeirão Preto (SP), em parceria com comparsas de Natal, contrataram servidores de estabelecimentos comerciais para, fazendo uso de um Pem Drive, instalar um vírus nos computadores nos caixas.

No caso do Híper Bompreço, o vírus foi instalado por três funcionárias. Uma delas foi apontada a imprensa pelo delegado Júlio Costa. Trata-se de Fabiane Lima dos Santos, de 27 anos, que recebia de R$ 50,00 a R$ 100,00 por cada cartão clonado por instalar o virus.

Fabiane Lima foi presa ao amanhecer de hoje em Natal. Não comentou sobre o caso.

Uma vez instalado, este vírus (comprado por R$ 15 mil pela quadrilha) permitiria que os dados dos cartões de crédito das pessoas de Natal fossem visualizados pelo líder da quadrilha em São Paulo, no caso Samir Gomes e programador Paulo Henrique.

Estes dados foram usados para clonar o cartão das vítimas e devolvê-lo ao Rio Grande do Norte, para ser usado pelos demais membros da quadrilha para fazer compras em nome de outras pessoas. O vereador eleito Francisco Silvanei, de Rio do Fogo, era um destes que comprava com os cartões clonados.

O delegado Júlio Costa calcula que pelo menos 100 mil cartões tenham sido clonados no período de 2007 a 2012 pela quadrilha, deixando um rombo estimado em R$ 3 milhões de reais somente no Banco Santander, onde a quadrilha abria contas com os dados das vítimas.

O funcionário do Santander que abria estas contas com nomes falsos também foi preso.

Além do Hiper Bompreço, a polícia suspeita que estabelecimentos foram vítimas da quadrilha

Além do Hiper Bompreço, o delegado Júlio Costa e demais investigadores da Policia Civil ouvidos pelo Defato.com deixaram a entender que existem vários outros estabelecimentos comerciais de Natal, incluindo postos de combustíveis sendo investigados.

Especialmente pelo número de pessoas envolvidas e o tempo que faz que a quadrilha está atuando em Natal. Com base nas análises feitas no material apreendido hoje e os depoimentos dos presos temporários (5 dias), a Polícia Civil vai chegar a mais pessoas envolvidas.

Foram presos

Samir Gomes Elias, de 42 anos (chefe do bando)

Paulo Henrique Amaral, 22, o programador

Lander Charles Valentin da Silva, 26 anos

Dimanche Alexandre Carlos de Sousa, 37 anos

Délio Souza Ferreira, 30 anos

Fabiane Lima dos Santos, 27 anos (servidora do Hiper Bompreço)

Carlos Augusto Gonçalves Miranda, de 32 anos

Valdir José de Araújo Martins, 39 anos

Justino Henrique Nunes de Melo, de 29 anos,

Plínio Tavares de Miranda, de 39 anos

Roberto Barreiro Conrado Xavier, Beto Seboso.

Ionário Araújo de brito, de 30 anos

Denílson Fonseca da Costa, de 29 anos (preso em Santa Cruz, marido de uma vereadora)

Arikson Moisés de Sousa, o Cegonha

Ana Paula de Lima Moreira, de 23 anos

Djailson justiça da Costa, de 29 anos

Emanuel Aldo da Silva, de 22 anos

Sínthia Batista da Silva, 20 anos

Jéssica Rodrigues Ribeiro

Veja no vídeo abaixo fotos dos suspeitos presos pela Policia Civil na Operação Clone:




CAPTCHA Image [ Different Image ]