Postado em  24/01/2017 - 10:59

Reabertura com ‘Potiba’

marcos santos
Da redação

O clássico entre Potiguar e Baraúnas será realizado nesta quinta-feira, 26, às 20h, no estádio Leonardo Nogueira. A confirmação saiu na tarde desta segunda-feira, 23, pela Federação Norte-rio-grandense de Futebol (FNF).
O derby mossoroense marcará a reabertura do Nogueirão, após 84 dias interditado pelo Corpo de Bombeiros.
O estádio foi liberado por ordem judicial, o que motivou a Federação a fazer a alteração na tabela, que previa o jogo para a cidade do Assú nesta quarta-feira, 25.

DESPACHO
O despacho assinado pelo juiz Pedro Cordeiro, da Vara da Fazenda Pública, determinou que o Corpo de Bombeiros apresentasse em até 24 horas – a contar da manhã desta segunda-feira – o alvará de funcionamento do Nogueirão.
Esse documento era o que exigia a Federação para a marcação de jogos no estádio Leonardo Nogueira.
O despacho de Pedro Cordeiro foi motivado porque o comandante do Corpo de Bombeiros de Mossoró, capitão Daniel Faria, entendia que a liminar deferida pelo magistrado em favor da Liga Desportiva Mossoroense (LDM) – essa liminar foi expedida na última sexta-feira, 20 – não obrigava o órgão a emitir o alvará de funcionamento do estádio.
Com isso, o Nogueirão continuaria sem receber os jogos, visto que a Federação exigia tal documento.
Observando que a decisão favorável à reabertura do estádio não havia tido efeito concreto e assim sendo o Nogueirão seguia fechado, Pedro Cordeiro firmou nova posição nesta segunda-feira, determinando para o Corpo de Bombeiros cumprir o que foi decidido, sob pena de responder criminalmente.
Tal decisão motivou, por consequência, a Federação a marcar jogos no Nogueirão, confirmando o clássico entre Potiguar e Baraúnas para esta quinta-feira, mesmo sem o laudo a priori.

ENTENDA O CASO
Havia um impasse entre a Liga Desportiva Mossoroense, gestora do estádio, e o Corpo de Bombeiros sobre a liberação do campo, que estava interditado desde o dia 1.º de novembro.
A entidade esportiva realizou obras de readequação no estádio e garantia a conclusão do serviço durante o Campeonato Estadual, o que não convencia a corporação, que só admitia expedir o laudo favorável mediante a conclusão de todo o serviço, sem retardação.
Diante do problema, a Liga entrou na Justiça Comum, solicitando uma liminar para a liberação do estádio, o que foi aceito pelo juiz Pedro Cordeiro. No mesmo documento da liminar, o magistrado determina para a Liga a conclusão das obras de readequação num prazo de 90 dias.
 


CAPTCHA Image [ Different Image ]