Postado em  07/08/2012 - 13:19

Conab destina mais 108 toneladas de milho para o RN

Cezar Alves
Alimento do rebanho está no fim na região Oeste

Cezar Alves/Da Redação

Na próxima segunda-feira, a Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) quer iniciar o processo de regularização de abastecimento de milho para alimentar o rebanho bovino no Rio Grande do Norte. A informação é do deputado federal Henrique Alves, do PMDB.

Henrique disse que realizou diligências na Conab Nacional para que o RN - com a seca aumentou o consumo de 1,5 milhõe de tonelada/mês para 7 milhões de toneladas/mês - não ficasse desabastecido. “Reclamei muito que o milho não está chegando”, disse.

A superintendência da CONAB explicou que existe milho sobrando na região Centro Oeste do Brasil, enquanto que no Nordeste enfrenta-se uma grande crise de abastecimento de milho, gerada pela estiagem. O milho não estava chegando devido à greve dos caminhões.

Com o fim da greve, a superintendência da CONAB informou que está se articulando com as transportadoras para o milho chegar ao RN no máximo segunda-feira, dia 13. Três carretas com 108 toneladas de milho saíram de Pedra Preta, em Mato Grosso, no dia 2 de agosto, devendo chegar ao destino final no prazo previsto.

Milho enviado a mais para o RN. Chega dia 13:
6,5 toneladas para Assu
4,5 toneladas para Caicó
7,5 toneladas para Currais Novos
4 para Mossoró
11toneladas para Grande Natal

Milho já enviado, mas que ficou emperrado na estrada devido a greve dos caminhões.
255 toneladas para Natal enviada no dia 26 de julho
53 toneladas para Mossoró no dia 30 de julho
51 toneladas para Currais Novos no dia 30 de julho
123 toneladas para Mossoró no dia 2 de agosto
127 toneladas para João Câmara no dia 2 de agosto
037 toneladas para Natal no dia 2 de agosto
108 toneladas para Mossoró no dia 2 de agosto

Agrônoma diz que rebanhos estão perdendo peso rápido

A explicação para a pressa no envio do milho para alimentar o rebanho do Rio Grande do Norte é da engenheira Florestal, Mestre em Meio Ambiente, Doutora em Agricultura Tropical, Verlândia Morais. Ela disse que “os rebanhos estão perdendo peso muito rápido, principalmente bovinos. Pasto só onde tem reserva de água.

“E a situação vai piorar ainda mais nos próximos meses, porque as ações emergenciais do Governo do Estado e da União não tão chegando aos agricultores e pequenos criadores”, destaca Verlândia Morais, lembrando que a seca ainda está no início e o quadro tende piorar nos próximos 5 ou 6 meses. “Precisamos de mais apoio do Estado”, diz.

Além do produto, o pequeno produtor rural também precisa de preço. Até mesmo porque sobra milho na região Central, ao ponto de não haver armazém suficiente para armazenar e o Governo Federal pode ajudar os produtores de milho e aos criadores do Nordeste. O deputado Henrique Alves disse que vai agir neste sentido junto ao Governo Federal.

Conab deve repassar o milho por preço subsidiado de R$ 18 reais a saca

O preço do milho na região no polígono da seca reconhecida pela legislação como sujeita a períodos críticos de prolongadas estiagens, será terá preço subsidiado, ou seja, a saca de milho de 60 kg deve ser vendido pela Conag por R$ 18 reais ao agricultor pronafiano e por R$ 21 reais aos demais criadores. Atualmente, o preço da saca é R$ 35,00.

Na região Oeste do RN, segundo Verlândia Morais, o preço da saca de milho é R$ 45,00, o que justifica a necessidade de uma intervenção mais eficaz por parte do Governo do Estado e principalmente da União, através da Conab no fornecimento de milho.

O preço subsidiado da saca de milho vendida pela Conab no Nordeste foi definido através da Portaria Interministerial 470/2012, publicada no Diário Oficial da União no dia 25 de Maio.


CAPTCHA Image [ Different Image ]