Postado em  30/06/2012 - 15:00

Pequena notável

Marcos Garcia
Fora do palco, atriz faz dança e toca violão
JANAÍNA HOLANDA
Da Re­da­ção
E-mail: janaina@defato.com
Twitter:@janna_holanda

Com desenvoltura, carisma e uma língua pra lá de afiada, a personagem “Toinha”, da edição 2012 do espetáculo Chuva de Bala no País de Mossoró, é um show à parte.
A atriz mirim Vitória Fernandes, 12, conquistou o público e a crítica que se rendeu ao talento precoce e surpreendente da jovem atriz.
Apesar da pouca idade, Vitória trabalha com teatro profissionalmente desde os nove anos.
“Meu pai me levou na Biblioteca (municipal) e eu fiquei encantada com a apresentação da Cia Pão Doce. Só sosseguei quando fui falar com Chico Window (diretor). Perguntei se ele me aceitaria na companhia. Não esqueço nunca, ele me olhou admirado e disse que eu ia fazer uma peça”, relembrou Vitória com um sorriso.
A pequena aspirante à atriz chegou a ensaiar a peça Pingos de Chuva, mas a mesma não entrou em cartaz.
A estreia aconteceu mesmo em 2009 com a peça Um Sonho de Cinderela, onde fez o papel da ratinha. De lá pra cá não faltaram trabalhos. Participou da peça Meus Bons Tempos, Oratório de Santa Luzia (anos 2009, 2010 e 2011) e agora Chuva de Bala no País de Mossoró.
“Eu chorei quando recebi o convite porque pensei assim: é um reconhecimento, vou atuar com pessoas muito experientes. Lembrei que um dia eu assisti e desejei participar e agora o palco é meu, muito legal isso não é??”, comentou.
Vitória entende o peso que é participar como protagonista de um espetáculo como o Chuva de Bala.
“Nunca passou pela minha cabeça de não dá conta. Todo mundo me ajudou e eu sou muito agradecida por isso. Agradeço a todos do elenco e principalmente ao diretor João Marcelino que confiou em mim. Eu espero estar correspondendo e que as pessoas gostem”, complementou.
Vitória está curtindo como ninguém sua fase de tietagem. “Você acredita que eu já dei autógrafo? Algumas pessoas me comparam com a Rita (interpretada por Mel Maia) de Avenida Brasil e eu acho legal. Outro dia uma moça pediu para fazer foto comigo para quando eu for famosa ela mostrar. Eu ri porque quero continuar trabalhando com teatro. Me inspiro na Flávia Alessandra”, contou divertida.
Fora dos palcos, Vitória é uma menina tranquila. Filha da técnica de segurança Micheila Fernandes e do encarregado Emerson Cabral, ela estuda a 6ª série no Colégio Diocesano. Duas vezes por semana, tem aulas de dança e nas horas vagas, gosta de tocar violão.
Ao contrário de muitas meninas da sua idade, Vitória não se acha vaidosa. “Não sou muito vaidosa não. Gosto de roupas confortáveis e pronto”, falou Vitória, que durante a sessão de fotos para essa matéria não usou nem gloss.

ESTUDO E TRABALHO
Vitória se diz uma apaixonada por teatro e quer torná-lo profissão, afinal, desde os cinco anos de idade começou a se envolver em peças na escola e também no grupo de teatro no SESC. No entanto, a família nunca descuidou dos estudos. “A condição para ela continuar se apresentando é não deixar cair o rendimento na escola. Se tirar abaixo da média, a gente chama atenção sim”, reforçou o avô Expedito Cabral.
Há cuidado especial também para o dinheiro. As apresentações profissionais rendem cachês com valores médios de R$ 500,00. O Chuva de Bala foi o seu maior cachê – R$ 1.500,00. O dinheiro, no entanto, já tem direção.
“Esse dinheiro minha mãe investe nos meus estudos e também estou guardando para a minha festa de 15 anos. É o meu sonho ter uma festa, por isso tenho que juntar de agora”, conta Vitória, revelando outros mimos que já comprou com o próprio dinheiro.
“Já comprei uma capa para o meu violão e umas roupas que achei legal. Minha mãe tem que controlar porque se deixar na minha mão eu torro”, revelou.

CAPTCHA Image [ Different Image ]
  • 30/06 - 16:23IsabelPacheco - Noossa ! to muito orgulhosa de voc Vick ! BEIJOS .
  • 02/07 - 12:44Nuara Aguiar - Vitria! voc foi o destaque do espetculo! Um sucesso! continua estudando! vai longe menina!